Com 65% dos resíduos sólidos urbanos sendo reciclados, a Alemanha serve de inspiração para muitas outras nações ao redor do globo.

Esta informação foi divulgada em um relatório da OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (Organization for Economic Co-operation and Development), que revelou os 10 países que mais reciclam no mundo.

Com uma inspiradora taxa de reciclagem de 65%, a Alemanha é o país que mais recicla em todo o mundo. A população daquele país conquistou essa posição através de uma sólida e contínua educação pública aplicada ao longo de décadas, que informa a população sobre como identificar e separar os diferentes tipos de resíduo, o que pode servir para compostagem e o que é descarte, de modo que a maior parte do trabalho é feita dentro das residências, pelas famílias. A população também foi obrigada a pagar mais pelo uso elevado das embalagens, encorajando a não geração e a redução no consumo de embalagens.

A Coreia do Sul é o segundo maior reciclador de resíduos sólidos urbanos. O país investiu 2% do seu PIB em programas de incentivo à reciclagem. Este investimento, juntamente com incentivos públicos e medidas de fiscalização, levou a Coréia do Sul a atingir uma taxa de 59% de reciclagem e compostagem.

O país tem ainda programas semelhantes aos da Alemanha, onde os geradores de resíduos pagam pelos volumes produzidos. Esta regra incentiva a comunidade local a criar menos resíduos, separar e reciclar mais.

A Eslovênia e a Áustria compartilham a terceira posição na lista dos países que mais reciclam no mundo. Ambos os países conseguem reciclar ou compostar 58% dos resíduos sólidos urbanos. Embora a Eslovénia tenha tido uma melhoria mais rápida nos seus programas de reciclagem, auxiliados pelas iniciativas “Zero Waste”, a falta de incineradores no país também ajudou a aumentar as taxas de reciclagem. Na Áustria, o governo local realmente se comprometeu com a meta estipulada anos atrás pela União Europeia de aumentar a reciclagem para 50% até 2020. A Áustria superou esse objetivo estipulando leis internas, como a de reciclar os plásticos das embalagens e ao impor a meta de reciclar ou reutilizar 80% do vidro usado no país.

Outros países da lista dos maiores recicladores pertencem à UE e incluem a Bélgica (55%), Suíça (51%), Suécia (50%), Holanda (50%), Luxemburgo (48%), Islândia (45%), Dinamarca (44%) e Reino Unido (43%).

Ao converter o que alguns consideram lixo em itens reutilizáveis, a reciclagem ajuda a reduzir a demanda por novos recursos, como madeira e minerais, uso de energia, contaminação do ar e da água. Ao reciclar, a poluição produzida pela fabricação de novos produtos é bastante reduzida. Na verdade, este é um fator crítico no corte das emissões que levam ao efeito estufa e à mudança climática global. Outro benefício é que aumentar a reciclagem e a compostagem também ajuda a criar novos empregos nessas indústrias. No mundo de hoje, onde os recursos naturais estão sendo esgotados em taxas alarmantes, os benefícios da reciclagem e da compostagem não podem ser exagerados. A dedicação desses países é algo que outros governos deveriam aspirar alcançar.

FONTE: OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. A OCDE é uma organização econômica intergovernamental com 36 países-membros, criada em 1961 para estimular o progresso econômico e o comércio mundial. – http://www.wasteexpo.com.br/news.html#news43

Please follow and like us:
error